Melhores da Base

Notícias |

Despedida do M1to | 20/12/2015 às 22:50:00

A despedida, por Rogério Ceni.

Descrição e resumo emocionante da história com o Clube.


Rogério entra em campo, na festa que reuniu os Campeões de 1992/93 x 2005 

Rogério Ceni São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)A emoção de Rogério.    (Foto: Marcos Ribolli)
– É meu último pedido, talvez o mais difícil, mas um dia vai acontecer. Quero que meu corpo seja cremado e que as cinzas possam ser jogadas no Morumbi, para que eu me lembre sempre do que aconteceu aqui – afirmou ele, emocionado.

O agora ex-goleiro tricolor expressou sua última vontade diante de mais de 60 mil testemunhas que lotaram o estádio para a partida entre os campeões mundiais de 1992 e 1993 e os de 2005, que se enfrentaram na homenagem.

Rogério também confirmou que a camisa, 01, será aposentada pelo clube – a camisa 1 continuará sendo usada por outros goleiros, sem o zero.

O discurso foi recheado de agradecimentos. O mais emocionado, a Telê Santana:

– Muito obrigado por ter feito com que eu chegasse meia hora mais cedo. Isso criou uma grande história – afirmou ele, também lembrou dos ex-presidentes Juvenal Juvêncio e Marcelo Portugal Gouvêa, já mortos.

Agradeceu aos torcedores, se despedindo.

– Vocês foram o motivo de tudo isso. O sonho que durou 25 anos. Esse era o único clube que poderia propiciar uma festa para esses caras (seus companheiros no amistoso). Quando olharem para a camisa de vocês, cada cara desses representa uma estrela vermelha que vocês têm no peito – disse, antes de fazer uma promessa.

– Ano que vem, nas quartas-feiras de Libertadores, estaremos juntos aqui, agora junto de vocês, torcedores, onde meu coração fica.

 E continuou

– O amor pelo clube será levado para sempre. A única diferença é que não poderei estar em campo. A emoção do jogo é fantástica para o atleta. A forma como cada atleta entrou em campo e depois, a alegria estampada no rosto de caras que não via há 10 anos. Tenho que me apegar a novos trabalhos, mas talvez nenhum amor futuro será maior do que foi essa história construída com o São Paulo.

Rogério Ceni encerra a sua carreira de jogador profissional com 1.237 partidas disputadas pelo São Paulo, sendo 648 vitórias, 275 empates e 314 derrotas. O goleiro está no Guinnes Book, o “Livro dos Recordes”, como o atleta que mais defendeu um mesmo clube de futebol, entrando em campo 978 jogos como capitão do tricolor.

O maior goleiro artilheiro da história do Futebol com 131 gols, 61 de falta, 69 de pênaltis e 01 com a bola em jogo. 


O adeus a torcida que dificilmente verá alguém superar seus números usando essa camisa.



Rogério Ceni São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)"O amor pelo clube será levado para sempre", disse o goleiro após o amistoso                                    (Foto: Marcos Ribolli)




A despedida, narrada e relatada por Rogério Ceni




« voltar




Giro da base


DESTAQUES

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS


MELHORES DA BASE © 2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS