Melhores da Base

Notícias |

Especial | 26/07/2018 às 16:25:00

Despedida de Zico da Seleção Brasileira em 1989

Defendeu a Seleção principal de 1976 à


Jogo de despedida do Zico da Seleção Brasileira em 1989



        Numa fria noite de primavera italiana, Zico disse adeus à Seleção Brasileira, em Udine, cidade que o abraçou. A derrota por 2 a 1 para um combinado do Resto do Mundo não estragou a festa.Diante de mais de 40 mil presentes, o Galinho de Quintino vestiu a camisa 10 pela última vez e desfilou sua genialidade.
 
        Naquela partida, o Brasil foi formado somente com os chamados “estrangeiros”, ou seja, jogadores que atuavam na Europa. A seleção começou com Gilmar [Nacional-Portugal]  Ricardo Rocha [Sporting-Portugal]  Mozer [Benfica-Portugal] Ricardo Gomes [Benfica-Portugal]  e Junior [Pescara-Itália] Dunga [Fiorentina-Itália], Silas [Sporting-Portugal] e Zico [Flamengo-RJ]  Renato Gaúcho [Roma-Itália] Careca [Napoli-Itália] e Valdo [Benfica-Portugal]. Depois, entraram João Leite  [Vitória de Guimarães-Portugal], Milton [Como-Itália], Julio Cesar [Montpellier-França], Branco [Porto-Portugal] Andrade  [Roma-Itália] Alemão [Napoli-Itália] Tita  [Pescara-Itália] Romário [PSV Heindhoven-Holanda] Evair  [Atalanta-Itália] e Douglas [Sporting-Portugal]. Comandado por Sebastião Lazaroni, que assumira no início do ano, o time fez ótimo primeiro tempo, mas se perdeu na etapa final, com a troca de quase todos os titulares, Só o Zagueiro Mozer atuou a partida inteira.

        Já o Resto do Mundo, do Técnico Sueco Nils Liedholm, tinha grandes jogadores, como os Goleiros Preud’Homme (Bélgica) e Dasaev (da então, Uniãp Soviética atual Rússia), Valderrama (Colômbia), Francescoli (Uruguai) e Stoijkovic (da então Iugoslávia, atual Sérvia). Maradona (Argentina), o grande craque da época, não pôde atuar por ter se contundido em jogo entre sua equipe Napoli contra a Juventus, dias antes.

Início. Zico comemora o gol, na partida Flamengo 1 x 0 Botafogo, válida pelo Campeonato Carioca Juvenil





















A jovem promessa Zico comemorando seu gol pelo Campeonato Carioca Juvenil (Sub-20) de 1971



A maior revelação da Categorias de Base do Flamengo encerrava assim sua participação defendendo a Seleção Brasileira, colocando um ponto final nesse lindo capitulo que escreveu com dedicação e empenho, em 89 jogos, anotou 66 gols, participou de três Copas do Mundo (1978 / 1982 / 1986).


O Jogo
 
Com uma linda cobrança de falta, Dunga abriu o placar (!), aos seis minutos. Em contra-ataque, o combinado empatou com o uruguaio Francescoli, aos 34. O húngaro Detari fez o gol da virada do Resto do Mundo, aos 20 do segundo tempo.
 
Zico deixou o campo aos 35 minutos. Aplaudido por todo o Friuli, se emocionou. “Recebi as mais comoventes homenagens nos três dias que estou aqui. Estou emocionado”, disse o Galinho.
 



Brasil 2x1 Resto do Mundo
Local: Est. "Comunale Friuli" em Udine (Itália). Árbitro: Luigi di Bassano (Itália). Gols: Dunga, Francescoli e Detari.


Brasil
1 Gilmar (João Leite) 2 Ricardo Rocha (Alemão) 3 Mozer 4 Ricardo Gomes (Julio Cesar) e 5 Júnior (Branco). 6 Dunga (Milton) 8 Silas (Andrade) 11 Valdo (Tita) e 10 Zico (Douglas). 7 Renato Gaúcho (Romário) e 9 Careca (Evair). Técnico: Sebastião Lazaroni

Resto do Mundo
1 Preud'Homme (Dasaev) João Pinto, Gerets, Demol e Djurovisk. Ridvan (Colik) Stoijkovic, Detari e Valderrama (Mihailovic). Francescoli e Rui Águas. Técnico: Nils Liedholm





Acompanhe os melhores momentos da despedida e última partida de Zico com a camisa da Seleção



« voltar




Giro da base


DESTAQUES

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS


MELHORES DA BASE © 2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS