Melhores da Base

Notícias |

Em San Marino | 22/02/2016 às 21:00:00

Made in...

Brasileiros pelo Mundo













































Caio Secco
, é um jovem Goleiro, Paranaense, que despontou, seguindo os passos de seu pai Renato, que também foi Goleiro o inspirando e iniciando sua caminhada nessa árdua tarefa de defender a meta de uma equipe. Busca com determinação, garra e muito suor seu espaço, aposta do Parma, Clube Italiano, que o contratou e o repassou por empréstimo ao San Marino, para jogar, ter ‘rodagem’ e adaptação para em breve voltar e ser aproveitado, num futuro que espera ser próximo, por lá encontrou aceitação e condições para que isso aconteça, trabalha com afinco para que possa se firmar no cenário Mundial, segue em busca de seu crescimento e amadurecimento pessoal e profissional... É mais um Brasileiro buscando seu espaço...           
 
 
Nome                                                                                                                                                                                                               
Caio Secco 
 
Idade
24 anos 
 
Cidade Natal
Curitiba-PR
 
Posição
Goleiro 
 
Onde atua
San Marino, na República de San Marino.  

Caio em ação, defendendo sua equipe com empenho


Como foi parar aí
Por ter Passaporte Comunitário Italiano, tudo ficou mais tranquilo e através dos meus empresários, Ricardo Sarti e Ovídio Colucci fui negociado com o Parma(Itália) e emprestado ao San Marino, para jogar e adquirir maior experiência e ritmo para quando retornar não sentir a falta de ritmo, e disputar meu espaço. 
 
 
Onde começou e por onde passou
Na Base iniciei no Paraná Clube, indo depois para o Coritiba onde me profissionalizei, depois passei por CRB-AL, Vitoria-BA, Botafogo-BA, até assinar com o Parma-ITA e por Crotone-ITA e San Marino-SM ambos por empréstimo.  
 
 
O que estão disputando
Campeonato Italiano Série C. 
 
 
Primeiro treinador e o atual
Meu primeiro treinador em clubes foi o Rodrigo Pozzi, no Sub-15 do Paraná Clube, e atualmente é o Salvo Fulvio D'Adderio.
 
 
Como foi o inicio da carreira
Iniciei treinando com meu Pai (O ex-Goleiro Renato, que jogou no Guarani, Coritiba, Londrina entre outros e é Treinador de Goleiros) no colégio Marista Paranaense, por diversão, depois peguei gosto e comecei a tentar testes para seguir uma coisa mais séria, até meus 17 foi bem complicado.  
 
Até aqui, quais dificuldades enfrentou
Na formação, tive bastante dificuldade por ter um desenvolvimento tardio, era baixo e bem mais magro em relação aos meninos da minha idade, e agora que estou longe de casa, sempre tem a questão de distância da família, outra língua, cultura e lesões, que temos que enfrentar longe deles. 
 
 
O que fez até agora pra buscar seus objetivos e suas metas
Resumindo, penso que preciso vencer as dificuldades diárias que o futebol te proporciona, sendo dentro ou fora de campo, continuo disposto a vencê-los, buscando sempre estar crescendo e melhorando cada dia mais.  
 
 
O que mais gosta e o que não gosta no futebol
Difícil citar uma coisa que mais goste... Mas a que menos gosto, é à distância da família e amigos, onde o atleta acaba perdendo muito contato e muitos acontecimentos marcantes. 
 


Atualmente Caio está na República de San Marino


O que gosta e o que não gosta na Itália
Gosto da língua, comida e organização, Sobre não gostar, não me vem nada em mente, por enquanto nada que não goste.  
 
 
O que mais sente falta do Brasil
Família, amigos e de algumas comidas. 
 
 
Sua maior alegria e tristeza no futebol
Maior tristeza foi pelo Coritiba perder a Copa do Brasil de 2011(Para o Vasco da Gama), onde fazia parte do elenco. 
Tive várias alegrias... Mas o acesso com o Vitoria em 2012(Ficou em 4º lugar no Brasileiro da Série B, Classificando-se para a Série A do Brasileiro de 2013) foi bem marcante. 
 
 
O que acha que precisa melhorar no futebol Brasileiro
Não sei dizer muito bem, por estar a 2 anos fora, mas vejo que aqui, até os times considerados ‘menores’, tem organização e estrutura muito boa para trabalhar, além da obrigatoriedade de pagamento, com multas e punições estipuladas, que nos dão mais tranquilidade pra trabalhar, não nos desgastamos com o extra campo, podendo nos dedicar só e exclusivamente ao trabalho.  
 
 
Quais as diferenças do futebol Brasileiro e o daí, no geral
O Futebol Italiano é muito mais tático, são bem aplicados e detalhistas nesse quesito, mas no Brasil eu vejo mais a capacidade individual e até mais liberdade para arriscar jogadas mais difíceis. 
Na minha posição, não foge muito daquilo que eu vivi no Brasil, tirando o fato que aqui, jogo frequentemente com os pés, os defensores procuram bastante o goleiro o que por aqui é uma coisa treinada e ensinada desde cedo! 
 
 
Recado para quem está começando
Acho que é o recado que todos sempre nos dão, não desistir nunca e sempre persistir naquilo em que acredita, as coisas mudam e acontecem muito rápido na vida e no futebol.  


Afastando o perigo de sua área



« voltar




Giro da base


DESTAQUES

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS


MELHORES DA BASE © 2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS